Põe a mão pra cima – Chernobyl e Jimmy Luv part. Sistah Mo Respect

800x800

Voltando a falar da rasteirinha, o lançamento Põe a Mão pra cima traz uma mistura da rasteirinha com os vocais afiados do MC de Ragga e DanceHall, Jimmy Luv. A idéia veio do produtor Gaucho, Chernobyl, que estava afim de fazer uma rasteirinha. Com uma demo pronta, procurou o seu velho amigo Jimmy mostrando o som e pedindo por uns vocais, que respondeu com rimas de peso. A mistura ficou tão inusitada que o produtor resolveu apelidar o estilo de RAGGASTERA, uma mistura de ragga com a já conhecida rasteirinha. De quebra, a MC Sistah Mo Respect – carioca do Vidigal – chegou junto para mandar umas rimas e deixar esse som com a cara de verão, com cara de pista cheia, com cara de som que vai pegar.

Leia Mais…

Conheça o Funk na Caixa.

(esse é um texto-relato)

O projeto do Funk na Caixa surgiu em 2010 por um ímpeto que tive em me destacar no cenário musical paulistano. Na época, eu tinha meus 21 anos e queria me tornar Dj. Depois de acompanhar de perto diversas festas e produtores, percebi que poucos deles trabalhavam com o funk. Nessa mesma época o maximal era o som do momento e produtores estrangeiros usavam vocais brasileiros do funk nas produções, o que na minha percepção era perfeito. Tive a ideia de que o funk poderia ser promovido como a música eletrônica brasileira e então abri o blog Funk na Caixa com o intuito de impulsionar minha carreira como dj, o dj Renato M2, e também mostrar esse cenário do funk.

 

Leia Mais…

O produtor Golden Kong curte mesmo é a batida do Romano

artworks-000112830061-rjg8wf-t500x500

De 2014 pra cá, algumas coisas mudaram: O funk de São Paulo passou de Ostentação para Putaria; O passinho se dividiu em estados: o do Rio de Janeiro e o de São Paulo, que tem uma malemolência diferente; os paulistas criaram ‘a batida do romano’ minimalista e que tem um timbre metálico; os fluxos vem disputando espaço com os bailes de São Paulo.

Bem, por que mostrar essas diferenças? Porque o produtor paulistano Fernando Simões, conhecido como Golden Kong, vem mostrando sua habilidade nessa nova batida. Com um single de montagem e remix de jersey club, fica fácil conhecer as diversas músicas que usam essa batida e ainda entender como tornar o funk em um global bass com apenas um remix. Ele também gravou mixtape maneira, se liga nesse link.

Se você tem perguntas do tipo: Como surgiu essa batida? De onde veio a ideia? Qual é a onda desses vocais estranhos? Acompanhe o Funk na Caixa que em breve você vai saber tudo sobre isso.

O Coletivo paulistano Dirty Kidz Gang completa 3 anos de festa, bagunça e bunda.

Fotos: Marcus David / João Paulo

Fotos: Marcus David / João Paulo

Neste final de semana, o coletivo paulistano Dirty Kidz Gang vai comemorar 3 anos de muita bagunça, música, arte e bunda.

O grupo é conhecido pelas suas festas, mas também há um time de artistas que completam esse movimento como o Sugar Crush, Aqualight, o Mc Jimmy Luv – da música Põe a mão pra cima, Mc Xandão, a cantora Ferdi Gi, o Babylons P, 13Duo, a Laka, Wrongbazz, Deviant Guys, o Baseball Bat (que é metade do Sugar Crush) e principalmente suas dançarinas as Dirty Girlz. Esse modelo de festa já passou por outras capitais como Santos , São José dos Campos (2x), Aracaju –SE, Maringa – PR (3x) e em quase todas as casas noturnas de São Paulo.

Como tem rolado uma parceria entre as produções do Funk na Caixa com o coletivo, perguntei pra eles quais foram os 3 melhores momentos dessa trajetória e o resultado foi interessante. Confira:

Leia Mais…

Feel Bololo Inc

Feel Bololo Inc é um mashup unindo a música do Bololo Hahaha do Mc Bin Laden com a Feel Good Inc da banda Gorillaz.

TrapFunk&Alivio são os representantes do funk na Bahia

19496_764740223616699_4632537659491074482_n

TrapFunk&Alivio é um movimento originado no Nordeste, mais exatamente na cidade Amaralina – Bahia, no qual um grupo de produtores misturam Trap music com funk carioca. O projeto, visa desenvolver o potencial de seus quatro integrantes: Dj Alle-x , Manno Lipe , Dj MG e Chico Divino. Mesmo que eles estejam na Bahia, eles mostram que a região não impõe o que eles vão ouvir, eles são do nordeste e gostam mesmo é de funk.

Leia Mais…

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.955 outros seguidores