O Funk além da batida – A consciência dentro do funk.

Baile "Permitidão", na Cidade Tiradentes, ZL de São paulo. Foto: acervo da Prefeitura de São Paulo

 

O baile funk é uma expressão cultural, e se você está lendo este texto eu vou assumir que pensamos da mesma forma. Isto quer dizer que, além de um estilo de música, o funk aborda temas das vidas de quem o produz, e isto se traduz em vertentes. É o caso do polêmico “Proibidão. Aquele estilo de funk cujas letras falam de fitas, corres, peças, adiantos e bololos no geral. Mas nós não vamos falar dele aqui, pelo menos não hoje.

O Funk Consciente trata do cotidiano de quem mora na favela. Muitas vezes abordando temas “polêmicos” como a violência, tráfico de drogas e abuso de autoridades – este, inclusive, é especulado como um dos motivos que levou ao assassinato de diversos jovens MCs da Baixada Santista. Porém, esta vertente do funk também aborda valores como humildade, trabalho, família e respeito.

Enquanto poucas canções dessa vertente são lembradas pelo público festeiro no geral (quem não sabe cantar o famoso refrão da dupla “Cidinho e Doca”: Eu só quero é ser feliz / Andar tranquilamente na favela onde nasci..), muitas outras são gravadas e podem passar despercebidas. O Funk na Caixa fez essa lista com cinco canções de funk conscientes que valem ser ouvidos.

 Mc Felipe boladãoMc Felipe Boladão

Mc Felipe Boladão – Tá difícil

https://soundcloud.com/megafunk-e/mc-felipe-boladao-ta-dificil

Sampleando o sucesso das matinês dos anos 2000 “The Underdog Project”, essa música fala sobre humildade e perseverança, que, aliás eram temas recorrentes em suas músicas. O MC foi baleado em 2010 sob circunstâncias que ainda seguem em investigação(RIP).

Mc Marcelly – Roda Gigante


Autora do sucesso “bigode grosso”, a MC carioca é responsável por músicas com beats pesadões e letras papo reto que tratam de empoderamento feminino. “Valesca school” mesmo. MC Marcelly recentemente assinou um contrato com a Universal Music e tem um CD previsto para Outubro desse ano.

mc fininhoMc Wellington Fininho

Mc Fininho – Sem Chance de Ser

Podemos considerar essa música como o “Rap do Silva” da nova geração. A letra dessa música fala de como a violência, tão presente nas quebradas, destrói projetos de vida de uma forma bem direta.

Mc Negrinho da Comporta – Só progresso Sem conflito

Vindo da baixada, MC Negrinho da Comporta já participou de uma edição do programa “Roda de Funk” (RJ) filmado em Santos. Suas letras vão do funk consciente ao proibidão,  – o que não significa apologias – sempre como um retrato das favelas de Santos.

Mc Pekeno – Pequeno Guerreiro

Outro grande representante do funk da baixada, o MC compõe suas letras sobre humildade e amor divino, utilizando batidas leves. Exaltando a humildade da quebrada, essa letra fala sobre os tempos de criança, e das mudanças que acontecem conforme crescemos, dando o exemplo de como essas mudanças podem ser bem mais brutais na favela.

1 Trackbacks & Pingbacks

  1. FUNK ALÉM DA BATIDA: O Funk também é romântico. | Funk na Caixa

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.

*