Archive | Funk Paulista RSS for this section

Conheça a história do produtor e Dj Carlos Nunez

IMG_4868    

O Dj e Produtor Carlos Nunez anunciou recentemente na sua página do Facebook que irá começar a sediar aulas para passar a frente todo o seu conhecimento de produção e discotecagem. Carlos é nosso amigo há muitos carnavais (não estamos autorizado a contar quanto são), então chegamos no estúdio dele pra conferir o que vai vir por ai. De quebra, rolou uma entrevista sobre toda a carreira do Carlos. TODA MESMO. Tire 15 minutos do seu dia para conhecer mais da história do Carlos.

Leia Mais…

Conheça a MC Tha

10311761_556121017855886_5814000566831586624_n

A MC Tha, code nome da amiga Thais Dayane, é o novo projeto da menina que virou mulher. Sua carreira não começou hoje, ela vem desde seus 15 anos quando descia pra baixada – então sede do funk paulista – para gravar e produzir suas músicas.

Nascida em Cidade Tiradentes, Zona Leste de São PAulo, Thais já tem certa história no funk: começou como uma adolescente rebelde com seu funk agressivo. Em seguida, com mais idade e experiência, lançou sua carreira solo como Mc Thaah, mesclando letras de amor e também cantando sucessos do passado.

A coisa até que ia bem, mas a dificuldade se de ter uma carreira solo é foda. Ela passava por um momento delicado da sua vida, ao mesmo tempo que conseguiu um bom emprego e precisava se dedicar, acabara de entrar na faculdade.

Aquela combinação de: Trabalho + Faculdade + Namoro + Família é dose. Nunca há tempo pro seu hobby, que no caso era cantar. A MC chegou a participar do projeto FunClassic, com algumas apresentações que renderam muito prestígio a cantora, mas como “sobrar tempo” era como um eclipse na sua vida, ele teve que deixar a sua carreira de lado. Até agora.

A nova MC Tha vem remodelada e adulta. A menina virou mulher e sabe o que quer. Encontrei com ela algumas vezes no rolê, que me disse que tinha coisa nova e coisa boa pra soltar. Quando comentei do JSTJR no Brasil ela não hesitou em colar no estúdio e mostrar seu material. Soltou pelo menos 3 músicas novas pra gente e ouvir e falar ‘cara, ai vem coisa boa’.

Nessa sua nova fase, a MC aproveitou pra soltar um video clipe sob direção dos amigos da Moloko Filmes.

Fique ligado na moça que tem coisa boa vindo por ai. Se você for produtor e se interessa pelos vocais dela, manda um e-mail pra gente, sabemos como te ajudar!

Qual o seu Lança?

image.axd

Nessa moda maluca de Lança pra cá, lança pra lá, separemos os gostos pro freguês:

Lança de Coco – Mc Bin Laden

Lança de Maracuja – Mc Bin Laden, Mc Livinho, Mc Juninho, Mc Jr, Mc 2k e Mc Menor da VG.

Lança de Morango – Mc Bin Laden e MC KF

Lança de Uva – MC Vassorini SP

Lança de Menta – Mc Bin Laden

Lança do Que? – Mc R1

 

Semana Maluca na KL Produtora

10996497_794535650633059_5380719142367978760_n

Lembra que semana passada rolou alguns videos da KL Produtora? Então, os caras prometeram mais de 200 videos e estão cumprindo! Selecionamos mais alguns, mas não deixe de conferir tudo no canal do youtube dos caras!

Dj Ferreira – Medley do Mc Pikachu

MC Kevinho – Trava

MC Brinquedo – Viciei no MineCraft

MC Pikachu – Guarda Chuva (EXPLICITO)

MC Bin Laden – Bala Love (Medley)

O preconceito nos olhos do Funk Ostentação

Captura de tela 2015-03-11 às 12.25.27

O movimento do funk ostentação em São Paulo já diminui a tal ponto, que é possível dizer que ele acabou. Mas, é válido lembrar que essa passagem dos funkeiros consumindo produtos que até então era apenas da elite, incomodou bastante gente – vale lembrar dos rolezinhos.

A música do Mc Kelvinho, “Nós sabemos o que elas gostam” mostra essa realidade da visão do funkeiro. O vídeo é bem simples: o cantor chega numa loja de carro e fica olhando um deles com mais interesse. Os demais funcionários ao perceber um negro na loja se assustam e começam a esconder seus pertences, enquanto isso o gerente da loja se preocupa. A coisa aperta quando o cantor entra dentro do carro, ai os funcionários o abordam para retira-lo. O cantor não entende bem a abordagem, e chama seu empresário que traz o dinheiro para a compra do carro.

O ponto desse post é pensar sobre essa realidade: em um momento, o público do funk foi colocado de lado porque não tinham poder financeiro suficiente para pertencer a determinados grupos; porém com a economia aquecendo e o poder aquisitivo dos funkeiros aumentado, qual o novo motivo para essas atitudes continuarem? ou qual é o real motivo disso tudo?Captura de tela 2015-03-11 às 12.25.27

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.929 outros seguidores